INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL!

Tenho calvície, posso repor testosterona?

Sabemos que nós, homens, de forma geral, comparado com as mulheres, temos menos costumes de cuidado e beleza.

No entanto, isso não quer dizer que não ligamos e tampouco não sofremos quando apresentamos, por exemplo, quadros como a calvície.

Aliás, essa condição nos afeta, quantitativamente, muito mais do que à elas. Isso porque a calvície está atrelada diretamente à uma questão hormonal e, infelizmente, não cura-se sozinha.

Sendo assim, a procura por um médico para começar o tratamento para calvície é fundamental.

Mas será que a reposição hormonal é uma das formas de tratar a alopecia androgenética?

4 ATIVIDADES FÍSICAS QUE AUMENTAM A TESTOSTERONA

Calvície masculina: o que é e tratamento

A calvície é um problema que assola milhões de brasileiros sendo estes homens ou mulheres.

No entanto, apesar disso, nós, indivíduos do gênero masculino, somos mais afetados já que uma das principais causas dessa condição – também chamada alopecia androgenética – é hormonal.

Isso porque o principal hormônio masculino presente no organismo, a testosterona, é convertido, por meio de uma atividade de uma enzima chamada 5-alfa-redutase, em di-hidrotestosterona (DHT).

Este hormônio atua no folículo capilar produzindo menos fios.

Além disso, os fios que conseguem nascer são mais finos e mais fracos.

Isso, consequentemente, faz com que a produção de cabelo nos folículos fique menor e, em determinado momento, tal produção parará.

Diante disso, é preciso intervir para que esse quadro seja estabilizado.

Um dos principais tratamentos para a calvície, principalmente para nós, homens, é o uso de medicamentos como a Finasterida. Mas por quê? Como essa substância age no corpo?

Finasterida: para que serve?

Perceba que abordamos, de forma sucinta e objetiva, como a perda de cabelo por questão hormonal, a calvície – ou alopecia androgenética – acontece.

Assim, após essa rápida explicação podemos focar na questão da Finasterida, remédio encontrado em diferentes miligramas.

Efeitos colaterais da Finasterida

A Finasterida é um medicamento que costuma ser bem tolerado pelos pacientes.

No entanto, isso não anula o fato de que essa substância pode provocar possíveis e determinados efeitos colaterais.

Estes, por sua vez, normalmente, são leves e não resultam na descontinuação do uso.

Os efeitos relatados mais “comuns” estão diretamente associados ao desempenho sexual dos homens: a diminuição da libido bem como a disfunção erétil.

Mas, para além disso, reações de hipersensibilidade na pele (erupção cutânea, urticaria e outros) e depressão foram relatados.

Diante disso, o tratamento para calvície com a Finasterida só deve ser realizado sob acompanhamento e orientação médica.

Isso porque esse profissional pode atestar, com mais sabedoria, como lidar com a medicação e, caso precise, substitui-la.

Sabemos que muitos homens deixam de tratar a calvície pela possibilidade do aparecimento de efeitos colaterais proposto pela Finasterida.

Além disso, muitos dos nossos também ficam receosos de que essa medicação pode – ou não – diminuir a testosterona.

Mas será que, de fato, a Finasterida diminui testosterona?

Finasterida diminui testosterona?

Entendemos que a redução da testosterona pode ser um assunto preocupante para alguns homens já que esse hormônio é indicativo de masculinidade para muitos.

Sendo assim, afirmamos, de forma objetiva e concisa, que a Finasterida diminui testosterona.

Isso porque a substância em questão, como já explicamos anteriormente, age como um bloqueador da ação específica da enzima 5-alfa-redutase.

Ou seja, a testosterona não é convertida em DHT e, em algum momento, a produção dela não mais a mesma.

Além disso, a Finasterida aumenta os níveis de estradiol, o principal hormônio feminino.

Logo, alguns homens relatam o aparecimento de “sinais femininos”, como o aumento das mamas, como efeito colateral da medicação.

Sabendo disso, alguns indivíduos questionam à si e aos médicos se é preciso fazer resposição de testosterona durante o tratamento para calvície com Finasterida. Será?

Reposição de testosterona: é possível fazer durante o uso da Finasterida?

A reposição de testosterona é um evento muito pontual. Sendo assim, a principal indicação para isso acontecer, segundo alguns médicos, é para casos de hipogonadismo.

Este é o mau funcionamento das gônadas sexuais que afeta os testículos nos homens e ovários nas mulheres.

Assim, até então, a reposição hormonal não é indicada para casos de queda capilar por causas hormonais.

No entanto, salientamos que esse texto é apenas informativo e, por isso, não substitui a consulta com um profissional qualificado no assunto.

Mas afinal, quem tem calvície pode repor testosterona?

Como já explicamos acima, a reposição hormonal é indicada em casos bastante específicos justamente por causar tantos efeitos colaterais indesejáveis.

A calvície é uma condição causada pelo excesso de DHT no organismo. A dihidrotestosterona é um hormônio derivado da testosterona.

Sendo assim, a reposição hormonal de testosterona naturalmente irá aumentar a queda capilar, principalmente naqueles que já têm uma tendência à calvície.

Se esse é o seu caso, a reposição de testosterona não é recomendada (a não ser, claro, que seu médico chegue à conclusão de que essa é a melhor alternativa de tratamento para o caso).

Por isso, sempre procure a ajude a ajuda de um especialista antes de fazer reposição de qualquer hormônio.

SAIBA COMO AUMENTAR A TESTOSTERONA NATURALMENTE

Gostou do nosso post?

Você conhece alguém com calvície?

Se sim, sabe se a pessoa usa Finasterida?

Fontes: [1] [2] [3] [4]

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.